quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

"Xeque ao Rei" - sugestão de leitura


Joanne Harris (autora de Livros como Chocolate, Vinho Mágico, Na Corda Bamba, Cinco Quartos de Laranja, Praia roubada…) habituou-nos nos seus romances à sua escrita inteligente e brilhante, repleta de sensações profundas e sugestivas, bem como às suas espantosas histórias. No romance Xeque ao Rei, sem fugir ao seu melhor estilo literário, a escritora consegue superar-se, e surpreende-nos com uma história impressionantemente estruturada à maneira dum jogo de Xadrez, onde o leitor é transportado para o misterioso e fechado mundo do prestigiado colégio inglês de St Oswal. Este espaço torna-se como um tabuleiro onde as personagens se posicionam para iniciar mais um ano lectivo e, ao mesmo tempo, jogar uma partida especialmente perigosa e mortífera.
A narrativa é apresentada através de dois narradores, jogadores rivais. É através da focalização interna destes narradores que vamos assistir ao desenrolar do desafio latente. O Peão, professor novo no Colégio, traz na sua bagagem um ódio profundo e visceral pelos valores tradicionais e elitistas do colégio que em tempos amou e desejou frequentar, mas que lhe foi cruelmente vedado durante a sua infância devido à sua proveniência sócio-económica. Agora que conseguiu ter acesso a esse mundo restrito, o seu desejo de vingança ganha proporções sombrias e pode ter consequências devastadoras. Um dos principais alvos da sua trama é Roy Stritley, o conservador professor de Latim, veterano representante dos valores mais tradicionais, que resiste estoicamente às mudanças que as novas tecnologias impõem à escola que é a toda a sua vida. Stritley, representado pela peça do Rei, tem de se defrontar não só com as incomodidades do e-mail, que o fazem faltar consecutivamente às reuniões mas também com as armadilhas que o seu oponente vai tecendo e que têm como objectivo último a destruição do único mundo que Stritley conhece.
Caso não seja desvendada a origem das misteriosas e cada vez mais cruéis partidas, jogadas de Xeque ao Rei, pode tornar-se impossível impedir a jogada final de Xeque-Mate.
Sendo que este foi um dos livros mais surpreendentes espantosos que já tive o prazer de ler, recomendo vivamente a sua leitura.
Xeque ao Rei está disponível na Biblioteca da Escola Secundária de Campo Maior.


Carla Correia

2 comentários:

Teresa disse...

Muito interessante!

AxilaIrritada disse...

Gosto imenso dos livros desta Senhora mas sinceramente deste não gosto muito, acho que deve ser por não saber jogar xadrez lolol